28 jun Normas Regulamentadoras (NR’s)

Normas Regulamentadoras (NR’s)

Muito se fala sobre a necessidade e a importância de uma empresa seguir as normas regulamentadoras, as famosas NRs, pois elas são obrigatórias e existe uma fiscalização severa com aplicação de multas.

Segundo estatísticas da Previdência, foram gastos mais de R$ 20 bilhões com benefícios para trabalhadores acidentados entre 2012 e 2016. Calcula-se que a cada 47 segundos ocorre um acidente de trabalho no Brasil.

Mas, hoje, nós perguntamos: A sua empresa pratica a segurança do trabalho no dia a dia?

A prática da segurança é essencial para promover a proteção e a prevenção de acidentes, pois frequentemente estamos expostos à riscos e na maioria das vezes, não percebemos e nem identificamos o risco presente no ambiente.

Mas afinal, o que são as Normas Regulamentadoras (NRs)?

As normas de segurança do trabalho também são conhecidas como Normas Regulamentadoras (abreviação NRs) e são medidas determinadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) que têm como objetivo zelar pela segurança e medicina do trabalho no ambiente laboral.

A aplicação das NRs é obrigatória para empresas que possuem empregados contratados pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), públicas, privadas ou órgãos públicos de administração.

A lei nº 6.514 de 22 de dezembro de 1977, definiu a redação dos artigos 154 a 201 da CLT, cabendo ao MTE definir as medidas relativas à segurança e medicina do trabalho. Assim, o Ministério do Trabalho aprovou a Portaria nº 3.214 em 08 de junho de 1978, que instituiu as Normas Regulamentadoras pertinentes à Segurança e Medicina do Trabalho.

Atualmente, a legislação brasileira conta com 36 NRs aprovadas pelo MTE, que visam manter a integridade física e psicológica dos funcionários, combatendo riscos e acidentes laborais.

Qual a importância das normas de segurança do trabalho?

As Normas Regulamentadoras foram criadas para a segurança do trabalhador no trabalho e para criar ambientes adequados e seguros trazendo benefícios como:

  • Redução de gastos com licenças médicas e afastamentos;
  • Diminuição do índice de absenteísmo;
  • Proteção dos colaboradores e da empresa;
  • Aumento da produtividade;

 

Tanto empregado como empregador ganham por se trabalhar num ambiente organizado com menos risco de acidentes, além da segurança e motivação ganham também no melhor desempenho nas atividades.

Como as NRs são aplicadas?

As Normas Regulamentadoras são construídas de forma genérica e podem ser aplicadas conforme as especificidades de cada segmento de negócio.

Para capacitar os profissionais existem treinamentos específicos destinados não apenas à segurança, mas também a entender as especificidades de segmentos diversos de trabalho.

Todas as normas são interligadas e não se contrapõem, todas se complementam quando aplicadas corretamente.

Conheça as NRs que são obrigatórias para os profissionais da área de infraestrutura de rede e entenda como elas funcionam.

Norma Regulamentadora Nº 10: Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade

O objetivo da NR 10 é estabelecer um conjunto de procedimentos e requisitos de segurança em instalações elétricas e serviços com eletricidade para garantir a proteção e a saúde dos trabalhadores envolvidos nessas atividades, direta ou indiretamente.

Esta norma exige o uso do EPI específico. O uniforme ideal para eletricista deve protegê-lo de todos os fatores de risco envolvidos na rotina de trabalho como: flamabilidade, influências eletromagnéticas e condutibilidade. Além da vestimenta, o profissional que lida com eletricidade deve usar, obrigatoriamente: luvas revestidas em borracha, sapatos com solado de borracha, viseira protetora, capacete especial e ferramentas com cabo de borracha.

Também é obrigatório que o eletricista tenha treinamento específico sobre os riscos decorrentes da energia elétrica e as principais medidas de prevenção de acidentes em instalações elétricas.

Norma Regulamentadora Nº 35: Trabalho em altura

A NR 35 determina os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura.  Apenas profissionais capacitados podem exercer esse tipo de atividade.

De acordo com o MTE, configura-se como trabalho em altura qualquer atividade executada em um desnível de dois metros acima do piso e com risco de queda. Como as normas são genéricas, elas devem ser analisadas e aplicadas pelo profissional de acordo com cada segmento de negócio.

Para qualquer trabalho em altura, deve haver uma análise de risco (AR) prévia, se necessário com autorização por meio de uma Permissão de Trabalho, que contenha todos os detalhes e informações sobre a atividade a ser realizada.

Quais as consequências de operar sem as normas de segurança do trabalho?

Muitos acidentes de trabalho são causados pela falsa sensação de segurança, ou seja, acontece quando o trabalhador pensa que está seguro, mas as medidas não foram tomadas de forma adequada ou os equipamentos não estão em pleno funcionamento.

Em qualquer circunstância, um acidente de trabalho significa prejuízo para a empresa, seja pela indenização financeira, seja pela perda de mão de obra.

Portanto, é importante adotar todas as normas de segurança do trabalho cabíveis e instruir a todos sobre os riscos e as medidas preventivas necessárias.

Acompanhar e obedecer às Normas Regulamentadoras são de extrema importância, se manter por dentro das mudanças, cursos e treinamentos somando isso a equipamentos de qualidade, evitará diversos problemas, multas, processos e acidentes.

A sua empresa contrata ou terceiriza atividades com empresas regulamentadas com as devidas NRs?

 

Entre em contato agora e converse com um especialista sobre o assunto!