13 maio Licenciamento de Software – Como funciona?

Licenciamento de Software

A necessidade de qualquer empresa estar inserida no mundo digital atualmente é um fato, considerando praticamente impossível que qualquer negócio cresça sem o uso de computadores e consequentemente a necessidade de softwares para gestão e outras finalidades.

Você provavelmente sabe que todo programa de computador possui uma licença de uso, certo?

Segundo pesquisa divulgada da BSA (The Software Alliance), o número de softwares piratas no Brasil chega a 47%. Essa alta taxa mostra que os programas e sistemas não licenciados estão presentes principalmente no setor empresarial.

Para estarem em conformidade com a lei que regula a comercialização dos programas de computadores, as empresas devem licenciar todos os softwares utilizados, entretanto, na tentativa de economizar, muitas reutilizam licenças individuais ou versões piratas, negligenciando as suas consequências.

Mas o que é uma licença de software?

A licença é um documento contratual usado por empresas desenvolvedoras de software, que permitem e limitam o direito de uso de uma aplicação ao usuário final, que pode ser uma pessoa, uma empresa ou uma entidade governamental. Neste documento são definidas as regras sobre cópias e alterações do código-fonte, bem como punições aplicáveis no caso de descumprimento. Além disso, os licenciamentos também delimitam o suporte ao usuário, as políticas de atualização e a garantia de serviços.

O barato pode sair caro!

O fato de economizar o valor que seria pago pela licença talvez não seja tão vantajoso quanto parece diante dos problemas que essa prática pode trazer. Alguns dos principais riscos que as empresas correm só pelo fato de instalarem softwares piratas em suas máquinas são:

    • Vulnerabilidade dos dados – Dados pessoais podem ser roubados através de uma técnica bem comum chamada phishing. Ocorre quando um programa é baixado e surgem mensagens na tela que simulam complementos, normalmente é preciso preencher alguns dados para o download. É neste momento que esses dados podem ser roubados.

 

    • Acesso a informações sigilosas – Alguns desses programas dão acesso remoto à sua máquina, abrem arquivos e rodam programas, desta forma, dados sigilosos podem acabar sendo vistos ou até mesmo copiados por outras pessoas.

 

    • Exposição a vírus e malwares – Muitos programas piratas contêm crackers, softwares que criam senhas falsas ou desabilitam rotinas de verificação de autenticidade. Eles também podem deixar uma porta aberta para que terceiros instalem malwares.

 

    • Instabilidades no sistema – Um software pirata precisa de uma programação específica para ignorar tentativas de autenticação, o que costuma prejudicar o próprio desempenho do programa. Algumas ferramentas podem simplesmente não funcionar ou o software pode ser fechado repentinamente durante o uso, fazendo com que o usuário perca horas de trabalho.

 

    • Falta de acesso a suporte técnico – Quando um programa pirata apresenta um problema, não existe um suporte a quem a empresa possa recorrer. Se houver roubo de dados, perda de arquivos importantes ou se tiver o computador infectado por um vírus, é muito mais difícil encontrar ajuda.

 

    • Incorrer em ilegalidade – Instalar um programa não licenciado é crime. Existe uma lei específica para esse tipo de prática no Brasil: a lei 9.609 de 1998, garante o pagamento de direitos autorais por propriedade intelectual, incluindo os programas de computadores. Quem é pego infringindo essa lei está sujeito a multa e a uma pena de reclusão que vai de 6 meses a 2 anos. Para quem faz cópias do programa e as comercializa, a pena pode ser ampliada.

 

    • Desperdício de tempo – Quando se adquire um software original, basta fazer a instalação e o registro para o programa estar pronto para uso. Para um software pirata haverá o tempo de procura na internet, podendo ter a necessidade de outras ferramentas duvidosas cada vez que ele travar por algum motivo desconhecido. É possível também que o programa baixado não funcione. Ou seja, o uso de softwares não licenciados pode comprometer significativamente a produtividade da empresa.

 

    • Exposições repetidas a riscos – Baixar um software pirata expõe o usuário a diversos riscos. Programas originais contam com atualizações que podem ser baixadas e também contam com mecanismos que barram as atualizações, enquanto os piratas não podem ser atualizados. Assim, a cada vez que surgir uma nova versão, será necessário fazer tudo novamente.

 

  • Credibilidade – A utilização de software pirata pode afetar significativamente a imagem e a credibilidade da empresa, pois é uma prática ilegal. Se o software pirata causar o vazamento de informações de funcionários e clientes, poderá trazer consequências irreparáveis.

 

Quais as vantagens do licenciamento de software?

O licenciamento de software traz estabilidade nas atividades da sua empresa. O software não licenciado pode parar a qualquer momento, acarretando problemas no desempenho. Além disso, o software licenciado é seguro, passou por certificações de segurança, auditorias e testes para garantir sua eficiência.

Fugir das dores de cabeça operacionais não é o único motivo para licenciar seu conjunto de software. Evitar o transtorno que as multas causam é o suficiente para justificar o licenciamento. Com o software registrado, o custo de manutenção é menor e o temor da fiscalização deixa de fazer parte da rotina da empresa.

Suporte direto do fabricante e garantia contra defeitos de fabricação são outras vantagens que se aplicam ao licenciamento adequado de aplicativos.

Cinco pontos fundamentais para escolha do licenciamento de software

1. Número de usuários: Ao comprar uma licença é importante informar o número de pessoas que utilizarão o software, dessa forma, cada usuário poderá ser cadastrado individualmente.

2. Número de máquinas onde será utilizado: Instalar um software em mais computadores do que o especificado no contrato caracteriza crime de pirataria. Isso implica em multa, possíveis processos e pode impactar negativamente a reputação de uma empresa.

3. Funcionalidades inclusas: É importante estabelecer os parâmetros de compra e informá-los por completo para o fornecedor. Se o programa não possuir todos os recursos necessários para a execução das tarefas, poderá solicitar que seja substituído. Essa é a melhor opção para não violar a lei de proteção do software.

4. Aplicabilidade do sistema: Alguns programas não podem ser utilizados em empresas com fins lucrativos. Antes de fazer a instalação, leia os termos de uso e cheque se há alguma proibição quanto à monetização realizada sobre o uso do programa.

5. Tempo de uso : Atente-se em relação ao tempo de uso. Na maioria das vezes, os softwares possuem uma data limite estabelecida no momento da compra, que pode ser renovada. Outros usam uma assinatura mensal e alguns permitem o uso perpétuo e indiscriminado. Isso inclui se as atualizações serão automáticas ou não.

Existe um prazo de validade para cada licença?

Sim e não! Toda a licença tem uma duração, porém, a validade varia de um produto para outro, podendo pode ser perpétua ou não perpétua, dependendo do caso:

    • Licenças perpétuas (vitalícias): São licenças que autorizam o uso do software por tempo indeterminado, desde que os requisitos do contrato de licença sejam cumpridos.

 

  • Licenças não perpétuas: Também conhecidas como licenças de assinatura, são disponibilizadas com um prazo fixado para uso e concedem ao usuário uma permissão temporária para usufruir do serviço, mas que pode ser renovada após a licença expirar.

 

Por que vale a pena investir em software licenciado?

Deixar de licenciar o software utilizado em sua empresa pode ser um problema no futuro. Software original custa caro, mas software pirata é sinônimo de prejuízo. Além de se enquadrar como apropriação indevida, a solução pirata carrega consigo riscos para a segurança do negócio.

Sem atender aos requisitos de manutenção e atualização de que sua empresa necessita, esses aplicativos ilegais podem conter diversos tipos de malware de origem desconhecida. Garantir a eficiência das suas operações com suporte em seu idioma é outro benefício que só é possível com o licenciamento adequado.

Quebrar os termos da licença pode acarretar multas pesadas. Auditoria de software é cada vez mais comum e arcar com o impacto de não implementar soluções originais em suas máquinas pode afetar seu desempenho no futuro.

Compreender o licenciamento de software e fazer a compra das licenças corretas para suas necessidades também pode ajudar sua empresa a economizar dinheiro. Sem contar que a aquisição da solução original não implica em riscos de processos por apropriação indevida e pirataria, além da garantia de qualidade.

Quer saber qual é o licenciamento adequado para a sua empresa?

 

Entre em contato agora e converse com um especialista sobre o assunto!